É FANTÁSTICO... OS MEIOS DE COMUNICAÇÕES REAGEM AS DROGAS

     
 

 

O dia que legitimas autoridades e homens públicos comprometidos com a realidade brasileira, com grande humildade, reconhecerem os meios de comunicações como um dos mais importante aliado, para enfrentarmos as dificuldades de se comunicar corretamente com as pessoas em risco, sobre o complexo tema que envolve todas as DROGAS, lícitas e ilícitas, tendo como objetivo o publico alvo, crianças, adolescentes, jovens e adultos predispostos a dependência química, usando uma linguagem correta e admitindo ser a falta de conhecimento e informações que estão criando vários mitos e preconceitos que acabam por limitar as mais ousadas ações de prevenção e entendimento, construindo cada vez mais barreiras, limitando nossos horizontes, para a discussão de políticas publicas; Tudo começará a mudar.
Na saída de uma escola, observei uma cena comum que muitos já devem ter visto. Uma criança de aproximadamente sete anos, antes de atravessar a rua, olhou corretamente para os dois lados antes de iniciar a travessia, que foi conseguida com sucesso absoluto. Isto que reportei, aconteceu e foi e é importante, pois nos revela que aquela criança recebeu informações para agir com atenção e prudência, sempre que for atravessar uma rua. Imaginemos agora, se as pessoas que são responsáveis por educar aquela criança, não acreditassem, que informar e ensinar a atravessar uma rua, é uma ação importante. Sem conhecer aquele tipo de perigo, esta mesma criança então, por atravessar a rua sem atenção e corretamente, fosse atropelada. Estaria estabelecida uma tragédia. Testemunhas, simples transeuntes do episodio, professores e pais desesperados, morte e dor, seqüelas, custo social, envolvimento de policiais, médicos, advogados e autoridades... Todos mais estressados. Este simples fato também revela para todos nós, que a maioria dos erros, poderiam ser evitados, com simples informações e que, por assim não agirmos é que cometemos durante nossas vidas, o crime da omissão que decorre da falta de conhecimento de vários perigos que nos apresentam como desafio todos os dias, e ao identifica-los, não os divulgamos. Sabemos também que, o que tem levado pessoas às drogas (substancias psicoativas) é a falta de conhecimento do mal que todas elas, as DROGAS, deixam em seus consumidores, pois as drogas de uma certa maneira proporcionam um bem estar, ainda que momentâneo, efêmero e diante desta sensação de prazer e conforto, torna-se difícil convencer as pessoas não fazerem seu uso, principalmente aquele publico alvo que no inicio da matéria já citei.
Muitas informações devem ser, cada vez mais difundidas, principalmente nos primeiros anos de vida de uma pessoa. Preferencialmente com uma linguagem própria, principalmente com orientação daqueles que possuem a didática correta, para o entendimento de cada idade e se possível, que seja entendida pela sociedade de um modo geral. Neste sentido a mídia, comprometida com o bem e os meios de comunicações, deve ser a aliada fundamental para a transformação social em relação às drogas. Devemos pedir a mídia e aos meios de comunicações que criem mais espaço, como faz aqui na Região dos Lagos, o nosso JORNAL PRIMEIRA HORA, para alertarmos ao menos, parte da sociedade e educar ensinando a criança e ao adolescente a dizer, com conhecimento e sabedoria, NÃO ÀS DROGAS, mas de maneira convicta que alerte até o aliciador, que naquela criança, naquele jovem ou naquele adulto, existe o conhecimento que as DROGAS, SE NÃO MATAM DEIXAM SEQÜELAS IRREPARÁVEIS NO INDIVIDUO USUÁRIO E NAS PESSOAS QUE O AMAM.
Ajudar é dever de todos, mas com logística devemos buscar apóio em todos segmentos da sociedade organizada e encontrar outras formas, para com o mínimo de segurança o jovem possa ter e adquirir, de muitas formas, muita adrenalina; alegria para descobrir a sua sexualidade; ter sabedoria ao ser fã de seus ídolos, mas separar seu ídolo das praticas nocivas que muitos deles praticam, não devendo ser incondicionalmente seus imitadores. A dependência química e as drogas devem ser trabalhadas pela comunicação comprometida, no seu todo, isto é, levando ao conhecimento da sociedade todos os efeitos bio-psico-social e não minimizando, sobre nenhum pretexto também, a dimensão espiritual do sagrado Ser Humano: Creio que a aliança com a mídia e os meios de comunicação, encontrará a melhor linguagem para ensinar a todos que o Ser Vivo, é composto de órgãos, é, pois bioquímico e qualquer substancia química que por ele for ingerido indevidamente, causará disfunção biológica. Assim cabe, urgentemente esclarecer, com toda a informação necessária sobre os efeitos e as terríveis conseqüências orgânicas, que drogas ingeridas como sendo coisas da modernidade, licitas ou ilícitas, mas indevidamente ou abusivamente, NÃO É COISA DO BEM É COISA DO MAL.
Vejamos a presença da mídia e das comunicações em um ensinamento diferente, mas simples, que funcionam, como aquele que a criança recebeu para atravessar a rua corretamente, mas se livrando do perigo. Outro simples que os adultos também já aprenderam com a mídia e vale a pena lembrar é : QUANDO BEBER NÃO DIRIJA, SE FOR DIRIGIR NÃO BEBA.

 
     
 
Notícia Publicada em: 04/04/2006

 

TELEFONES DE CONTATO

Regional Grande BH-MG - (031) 3621-6000
Reg.Consel.Lafaiete-MG - (031) 3763-5233
Regional dos Lagos - RJ - (022) 9814-1019
Regional Araruama - RJ - (022) 9973-8289

OUTROS CONTATOS
SOS-CRER-VIDA/VIP DIFERENCIADO
Triagem Central BÚZIOS 022-9814-1019
crervip@crer-vip.org.br
contato@crer-vip.org.br
NOTICIAS SOBRE DROGAS

Matérias em nossa TV CRER-VIP

Jornal Primeira Hora. Conheça a Coluna do nosso Presidente José Gonzaga.
Clique Aqui